Novaer

Histórico

Estabelecida inicialmente na cidade de São Paulo no ano de 1998, sob o nome de Geometra BTE, sua criação foi motivada pela vontade do fundador, Luiz Paulo Junqueira, de estruturar um negócio que pudesse, gradativamente, executar projetos de engenharia e fabricar produtos aeronáuticos. Desse modo, concentrou seus esforços nos negócios de desenvolvimento e produção de trens de pouso, item de alto valor agregado de aeronaves, cujo know-how detinha.

De sua fundação até 2006, a NOVAER participou de vários projetos aeronáuticos, dos quais destacamos o desenvolvimento do trem de pouso e asas da aeronave EV-20 Vantage, contratado pela empresa norte-americana Eviation Jets, além do desenvolvimento completo de uma aeronave militar de ataque leve.

Em dezembro de 2006, a NOVAER foi contratada pelo Centro Logístico da Aeronáutica – CELOG para desenvolver uma nova versão de trem de pouso para a aeronave T-27 Tucano, para atender às necessidades de manutenção dos Tucanos da Força Aérea Brasileira - FAB e de clientes da aeronave. Como consequência desse desenvolvimento a NOVAER firmou contrato com o CELOG para explorar a fabricação e comercialização do Trem de Pouso do Tucano. A NOVAER passa a fabricar e fornecer o Trem de Pouso completo ou suas partes e peças à FAB, à Embraer e outras forças aéreas detentoras do Tucano.

Em meados de 2007, a NOVAER identificou uma aeronave experimental acrobática que demonstrou, por suas características aerodinâmicas excepcionais, ser uma boa prova de conceito para o desenvolvimento de uma nova aeronave, com promissoras perspectivas de mercado. Esta aeronave experimental era o “K-51”, projeto do renomado projetista aeronáutico, Sr. József Kovács, cujas criações incluem o T-25 Universal (treinador primário da FAB) e o T-27 Tucano (treinador intermediário da FAB), dentre outras. Em outubro de 2007, a NOVAER adquiriu os direitos autorais sobre os projetos do K-51 e József Kovács passou a integrar a equipe de engenharia da NOVAER.

Em meados de 2009, a NOVAER iniciou suas ações junto Estado Maior da Aeronáutica – EMAER, para ofertar o desenvolvimento e fornecimento de uma nova aeronave de treinamento militar (genericamente designada “T- Xc”), como uma alternativa mais moderna e econômica, para a substituição da aeronave T-25 Universal, utilizada há quase 40 anos no treinamento primário dos cadetes da Academia da Força Aérea Brasileira - AFA.

Em fevereiro de 2010, a NOVAER constituiu um consórcio com as empresas Winnstal e Flight Technologies , e ingressou com um pedido de subvenção econômica junto à Financiadora de Estudos e Projetos (“FINEP”), para suportar os custos de desenvolvimento do protótipo de uma aeronave, com estrutura primária e secundária fabricadas em fibra de carbono, baseada no avião prova de conceito K-51 (o “Projeto T-Xc”). Em junho de 2010, o Consórcio T-Xc celebrou um contrato de subvenção com a FINEP, dando início à realização do Projeto T-Xc. Sob referido contrato, o Consórcio T-Xc obrigou-se a disponibilizar suas capacitações técnicas e a atender um plano de trabalho aprovado pela FINEP, para a implementação do Projeto T-Xc.

Também em meados de 2010, a NOVAER iniciou suas ações junto a investidores estratégicos, visando obter os recursos de infra-estrutura necessários à implementação de uma nova indústria aeronáutica no Brasil, destinada a explorar a aviação geral e o mercado de defesa, tendo o T-Xc como seu produto inaugural.

Em dezembro de 2011, a NOVAER adquiriu os direitos de propriedade sobre os projetos e ativos produzidos por Winnstal e Flight Technologies, no âmbito do Projeto T-Xc, tornando-se a proprietária exclusiva de todos os projetos e bens resultantes do Projeto T-Xc.

No início de 2012 o governo brasileiro lançou uma série de medidas destinadas a alavancar o parque industrial militar brasileiro, em especial a Medida Provisória 544, que estabelece normas especiais para as compras, as contratações de produtos, de sistemas de defesa, e de desenvolvimento de produtos e de sistemas de defesa, e dispõe sobre regras de incentivo à área estratégica de defesa. Em razão de tais medidas e sob a orientação do Ministério da Defesa, da Associação Brasileira das Indústrias de Materiais de Defesa e Segurança - ABIMDE e da Associação das Industrias Aeroespaciais do Brasil - AIAB, a NOVAER inicia suas ações para qualificar-se como Empresa Estratégica de Defesa.

Em agosto de 2012, a NOVAER assinou um contrato de investimento com a empresa catarinense SC Parcerias.

Em janeiro de 2013 a Novaer iniciou a fabricação do 1º protótipo do T-Xc.

Em fevereiro de 2013 a Novaer iniciou o processo de transferência de sua matriz para a cidade de Lages, em SC.

Em março de 2013 a Novaer participou pela primeira vez de reunião técnica do programa UNASUL 1, de desenvolvimento plurinacional conjunto de aeronave treinador básico, para atender a requisitos de suas forças aéreas.

Em julho de 2013 a Novaer transferiu a localização de sua unidade de são José dos Campos para a área Avibras 1, onde os escritórios de engenharia, projeto e administrativos passaram a ficar junto do hangar de montagem do protótipo.

Em julho de 2013 a Novaer foi admitida no certame Inova Aero Defesa, sendo elegível para pleitear recursos de subvenção e de financiamento.

Em dezembro de 2013 a Novaer foi aprovada no certame Inova Aero Defesa, para receber recursos de subvenção e de financiamento, para os escopos de desenvolvimento, certificação e industrialização do T-Xc e também para desenvolvimento do trem de pouso do avião Unasul 1.

Em fevereiro de 2014 a Novaer foi classificada pelo Ministério da Defesa como “Empresa Estratégica de Defesa – EED” no contexto da Lei 12.598 de 2012. A classificação foi aprovada em reunião regular da CMID – Comissão Mista da Indústria de Defesa. Esta classificação é concedida pelo Governo Federal para companhias que investem no desenvolvimento tecnológico e industrial e fomentam o conteúdo nacional nos bens e serviços demandados pelo setor de defesa do País.

Em março de 2014 a Novaer concluiu a fase de fabricação do protótipo do T-Xc e celebrou sua cerimônia de “roll-out”, na qual o avião foi apresentado ao publico pela primeira vez.

Em agosto de 2012, a NOVAER assinou um contrato de investimento com a empresa catarinense SC Parcerias.

Em janeiro de 2013 a Novaer iniciou a fabricação do 1º protótipo do T-Xc.

Em fevereiro de 2013 a Novaer iniciou o processo de transferência de sua matriz para a cidade de Lages, em SC.

Em março de 2013 a Novaer participou pela primeira vez de reunião técnica do programa UNASUL 1, de desenvolvimento plurinacional conjunto de aeronave treinador básico, para atender a requisitos de suas forças aéreas.

Em julho de 2013 a Novaer transferiu a localização de sua unidade de são José dos Campos para a área Avibras 1, onde os escritórios de engenharia, projeto e administrativos passaram a ficar junto do hangar de montagem do protótipo.

Em julho de 2013 a Novaer foi admitida no certame Inova Aero Defesa, sendo elegível para pleitear recursos de subvenção e de financiamento.

Em dezembro de 2013 a Novaer foi aprovada no certame Inova Aero Defesa, para receber recursos de subvenção e de financiamento, para os escopos de desenvolvimento, certificação e industrialização do T-Xc e também para desenvolvimento do trem de pouso do avião Unasul 1.

Em fevereiro de 2014 a Novaer foi classificada pelo Ministério da Defesa como “Empresa Estratégica de Defesa – EED” no contexto da Lei 12.598 de 2012. A classificação foi aprovada em reunião regular da CMID – Comissão Mista da Indústria de Defesa. Esta classificação é concedida pelo Governo Federal para companhias que investem no desenvolvimento tecnológico e industrial e fomentam o conteúdo nacional nos bens e serviços demandados pelo setor de defesa do País.

Em março de 2014 a Novaer concluiu a fase de fabricação do protótipo do T-Xc e celebrou sua cerimônia de “roll-out”, na qual o avião foi apresentado ao publico pela primeira vez.

No dia 22 de agosto o protótipo da NOVAER decolou pela primeira vez, acompanhado do K-51, avião cujo projeto foi utilizado como base para o desenvolvimento do T-Xc.

Em setembro de 2014, diretores da NOVAER se reuniram com o Ministro da Defesa do Brasil, Exmo. Sr. Celso Amorim, para informar sobre o status do programa T-Xc, e as possíveis aplicações da aeronave.

Em outubro de 2014 a NOVAER participou do Portões Abertos DCTA 2014, expondo pela primeira vez ao público o protótipo de sua aeronave.

No dia 23 de outubro o protótipo da NOVAER fez seu primeiro recolhimento e extensão dos trens de pouso em voo, etapa importantíssima para a abertura completa do envelope de acrobacias.

No dia 4 de dezembro a NOVAER e a AFA reeditaram a história e, juntos, escolheram o nome oficial da versão de treinamento militar do T-Xc – Nasce o NOVAER SOVI.

Em novembro de 2014, durante a Feira e Congresso Internacionais de Composites, o protótipo em fibra de carbono da NOVAER venceu o prêmio “Excelência em Composites”, na categoria “Melhor Desenvolvimento Tecnológico”, pois “demonstra as grandes qualidades dos avançados materiais compostos aplicados na construção aeronáutica, que conferem leveza e contribuem para o ótimo desempenho do avião.”

Em junho de 2015 a NOVAER se reuniu com o Ministro da Ciência, Tecnologia e Inovação, Aldo Rebelo, que garantiu apoio ao setor: “Vamos trabalhar para fazer estes aviões, vamos encontrar os meios para isto. O Brasil não pode deixar passar os investimentos neste nicho de mercado”

No dia 24 de junho de 2015 a NOVAER esteve presente no lançamento da Frente Parlamentar em Defesa da Indústria Aeronáutica e Espacial do Brasil, com o objetivo de defender os interesses das empresas do setor sediadas no Brasil.

Em julho de 2015 a NOVAER mudou-se para o Centro Empresarial do Vale, com o intuito de expandir suas operações para o desenvolvimento do Sovi MTP.

Copyright © 2012 Novaer Craft Empreendimentos Aeronáuticos S.A. Todos os direitos reservados.